Quarta-Feira, 20 de junho de 2018


PUBLICIDADE




Educação

Como as escolas têm preparado alunos para o mercado de trabalho?

Uso de plataformas como DreamShaper desenvolve habilidades socioemocionais em alunos da rede pública do Brasil


20/02/2018 19h15 - Atualizado em 20/02/2018 19h44


Com as mudanças no mercado de trabalho e, consequentemente, novas exigências, os profissionais precisam estar preparados e desenvolver as competências do século XXI (por exemplo, planejamento, curiosidade, habilidade para assumir riscos, entre outras). Quanto mais cedo essas competências são ensinadas, melhores os resultados no futuro, o que vem fazendo com que as escolas busquem ferramentas de ensino que se adaptem a essa realidade como é o caso da DreamShaper, plataforma online de ensino que permite a criação de projetos empreendedores temáticos em sala de aula.

De acordo com João Borges, CEO da DreamShaper, a plataforma foi construída com foco no desenvolvimento de habilidades socioemocionais dos alunos. "Buscamos oferecer um sistema simples para ser utilizado em sala de aula e que possa ser aplicado a qualquer disciplina. Os projetos são elaborados com base nos interesses do aluno, incentivando o empreendedorismo e diversas capacidades desde cedo. Tudo isso para preparar jovens para o novo mercado de trabalho", explica Borges.

O CEO da DreamShaper conta ainda que a plataforma vem para suprir a falta de ferramentas educacionais online que possam ser utilizadas pelos professores com seus alunos, além da escassez de soluções de project based learning (aprendizado com base em projetos) que sejam facilmente aplicáveis, sem alto investimento financeiro ou esforço excessivo.

E o que o mercado de trabalho espera desses novos profissionais? De acordo com um estudo realizado pela Workana, plataforma de trabalho freelance com atuação em toda a América Latina, as características mais buscadas pelas empresas são atitude empreendedora, contar com múltiplas habilidades, conhecimento do mercado, inteligência emocional, design thinking, interculturalidade e colaboração virtual.

Guillermo Bracciaforte, cofundador da Workana, aponta que as mudanças vêm tanto por exigência das empresas quanto dos próprios profissionais: "Ao mesmo tempo que as empresas buscam profissionais que não apenas cumpram ordens, mas que tenham atitudes empreendedoras, esses trabalhadores também não querem mais simplesmente obedecer, mas sim, fazer parte da empresa com ideias criativas", explica Bracciaforte.

As habilidades levantadas pela Workana vão ao encontro daquelas desenvolvidas através do uso da DreamShaper. Para comprovar os resultados obtidos com o uso da plataforma de ensino, a Fundação Lemann, um dos parceiros da empresa, encomendou um estudo independente. O estudo apontou, dentre outros aspectos, que os alunos do ensino médio e fundamental que utilizaram a DreamShaper durante um ano aumentaram em 53,83% sua capacidade de organização, 54,3% a capacidade de planejamento, 50,96% a concentração e 58,05% a criatividade, além de mais orientação para o futuro, que cresceu em 65,13% após o uso da plataforma. No Brasil, já foram mais de 15 mil alunos impactados pelo uso da plataforma, em 90 instituições de ensino públicas.

O sistema foi desenvolvido com o objetivo de atender aos mais diversos públicos, desde alunos de ensino fundamental e médio até o superior. "Focamos em oferecer uma solução universal e os conteúdos pedagógicos fazem com que qualquer pessoa possa utilizar, independentemente do seu nível de conhecimento", conclui Borges.


Acompanhe o Pirapemas.com também pelo Twitter™ e pelo Facebook
Informações, imagens, vídeos, sugestões, denúncias podem ser enviados no nosso WhatsApp: (98) 98179-7981 ou através do e-mail: contato@pirapemas.com





PUBLICIDADE


COMENTÁRIO