Domingo, 20 de maio de 2018


PUBLICIDADE




Educação

Porque não fomos educados para sermos pró ativos no trabalho

Por Fabiano Castro, especialista em carreira\educação e Diretor da rede Minds Idiomas.


15/05/2018 13h24

Para falarmos desse importante tema temos que ter a consciência que o sistema de formação de um indivíduo começa desde o seu nascimento, porém há fases importantes que devemos ressaltar. O convívio social e a escola são dois pilares responsáveis pelo desenvolvimento do ser humano. Ou seja, a forma como aprendemos e convivemos em sociedade interfere na maneira como seremos como profissionais. Na fase adulta. 

No Brasil e em várias partes do mundo, os docentes nos passam o conhecimento na forma de transmissão, isto é, estudantes sentados, ouvindo, e focados naquele conteúdo apresentado por uma pessoa. Esse sistema de conhecimento está caindo em desuso. Isso acontece porque não exige dos alunos diálogo, pró atividade, e interesse a mais do que as informações passadas em 1 ou 2 horas de aula.

Não somos treinados na escola e em sociedade para conseguirmos a emancipação humana e isso é refletido nas nossas carreiras mais tarde. A empresa dita a nossa carga horária, atividades prioritárias, devem ministrar os cursos de aperfeiçoamento ou custear parte dos estudos dos colaboradores. Não é errado, claro, que as companhias ofereçam esse tipo de benefício educacional para os seus funcionários, porém o quanto cada um de nós, realmente, avalia e sabe quais são as suas próprias ambições profissionais e vai além do que a empresa oferece. 

Com o advento da tecnologia, as forma de trabalho vêm mudando. A explosão das startups e negócios horizontais exigem dos profissionais outra postura. E é neste ponto que temos que falar sobre pró atividade. Independente do segmento da empresa, a inovação já é uma realidade e com ela vem a liberdade dos colaboradores. Os próprios funcionários decidem a sua carga horária, local de trabalho e muitas vezes participam das principais decisões das empresas. Essa liberdade vem acompanhada dessa pró atividade, a qual não fomos treinados na infância e nem na adolescência nas escolas.

Como incluir a pró atividade no seu dia a dia e ter uma carreira mais promissora

Mudar os hábitos é algo complicado para qualquer pessoa. Somos seres adaptados ao cômodo, porém com algumas atitudes é possível ser pró ativo e contribuir para a sua carreira e para a empresa que atua.

- Avalie as suas atividades diárias e enxergue se pode fazê-las de forma diferente;

- Deixe o medo de lado e exponha possíveis soluções para a sua empresa;

- Coloque no papel os seus planos profissionais para os próximos dois anos e determine ações para cumpri-los. Seja um curso, mestrado e\ou até mudar de empresa;

- Crie o hábito de monitorar as suas atividades diárias. Vale usar até o excel para anotar tudo o que fez. Com a rotina tecnológica temos a sensação de o “tempo” correr mais rápido. Por isso, enxergar no final do dia que cumpriu com as suas atividades lhe deixará mais feliz e com novas perspectivas para o dia seguinte;

- Estabeleça o seu horário, converse com os seus gestores sobre quais são os períodos do dia que você é mais produtivo(a) e se possível trabalhe nesses horários;

- Tenha foco. Para ser pró ativo na sua carreira e para a empresa “desligue” dos aparelhos eletrônicos.


Acompanhe o Pirapemas.com também pelo Twitter™ e pelo Facebook
Informações, imagens, vídeos, sugestões, denúncias podem ser enviados no nosso WhatsApp: (98) 98179-7981 ou através do e-mail: contato@pirapemas.com





PUBLICIDADE


COMENTÁRIO